Ciência e Tecnologia

utricolaria reniformisHá aproximadamente 130 espécies de plantas carnívoras no Brasil presentes em praticamente todos os biomas. Para compreender como se desenrolou a dinâmica evolutiva desse grupo tão fascinante de plantas, uma condição necessária é o estudo de seu DNA. Mas nenhuma dessas espécies brasileiras tinha tido o seu genoma completo sequenciado.

O pesquisador do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas da Universidade de São Paulo (USP) Helder Nakaya criou um aplicativo para mapear focos, também chamados de hotspots, da dengue, malária, Zika, entre outras. O objetivo é localizar os casos sintomáticos, auxiliar agentes de saúde e ajudar a diminuir a incidência e a transmissão dessas doenças. O aplicativo funcionará da seguinte maneira: pacientes sintomáticos, diagnosticados em hospitais de referência com Zika, dengue, tuberculose, leishmaniose, chikungunya, parvovírus e malária, vão disponibilizar voluntariamente o histórico de localização de seus smartphones.

A matéria conhecida (denominada “bariônica”) corresponde a apenas 5% do conteúdo do Universo. Outros 25% são constituídos pela desconhecida matéria escura. E 70%, pela ainda mais enigmática energia escura. Estas porcentagens (aqui expressas em valores arredondados), que haviam sido estabelecidas por estudos anteriores, foram confirmadas agora, com notável convergência numérica, pelo Dark Energy Survey (DES).

Um aspecto da floresta amazônica que foi por muitas décadas dado como certo é que, com a chegada do período de chuvas, as árvores produzem novas folhas e a mata fica mais verde. Nas florestas temperadas, a maioria dos modelos usados em estudos mostra um decréscimo da fotossíntese na estação seca e cientistas estimavam que o mesmo ocorreria em regiões tropicais.

Mudanças climáticasComo outras cidades costeiras, a cidade de Santos, no litoral paulista, vive uma situação que lembra a fábula da formiga e da cigarra. Com a expectativa de que o nível do mar continue a aumentar nos próximos anos, enfrenta o dilema de se adaptar ao que vem pela frente ou ter que pagar o preço alto de ressacas e inundações cada vez mais frequentes.

BiossensoresAvanços recentes no campo da biologia molecular estão ampliando as possibilidades de uso de biossensores no diagnóstico e na prevenção de doenças. Desenvolvidos com base em elementos de reconhecimento biológico, como antígenos e anticorpos, esses dispositivos podem se tornar aparelhos portáteis e baratos, semelhantes aos utilizados na medição das taxas de glicose no sangue.

Pesquisadores do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) começam a desvendar os mecanismos moleculares pelos quais o parasita causador da leishmaniose cutânea consegue driblar as defesas do organismo hospedeiro e infectar novas células. Caracterizada por feridas na pele de lenta cicatrização, a doença é causada por protozoários do gênero Leishmania.

A Pulchellina, uma proteína originária de Abrus pulchellus tenuiflorus – planta existente na flora brasileira -, foi capaz de combater células infectadas com o Vírus da Imunodeficiência Humana (human immunodeficiency virus – HIV), após ter sido conjugada à ação de anticorpos* usados especificamente na detecção do vírus.

malditestaSabe-se que, de alguma forma, a enxaqueca está relacionada a dores nos músculos da mastigação. Mas a relação com a disfunção temporomandibular (DTM) – que ocorre na articulação da mandíbula com o crânio – era feita independentemente da frequência da enxaqueca.

No páramo, um ecossistema encontrado no alto da cordilheira dos Andes, existe um gênero de plantas endêmicas chamado Espeletia que pode servir de chave para entender a especiação e distribuição de espécies ao longo da história dos andes sul-americanos. Em artigo publicado no dia 18 de agosto na Scientific Reports, pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FCFRP-USP),

O Laboratório de Genômica Integrativa do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu, oferece uma oportunidade de Pós-Doutorado em Bioinformática com Bolsa da FAPESP. O prazo de inscrição vai até o dia 30 de agosto de 2017.