Ciência e Tecnologia

Pesquisadores do A.C. Camargo Cancer Center encontraram no sangue de pacientes com câncer de cabeça e pescoço marcadores que podem ajudar a identificar os casos mais propensos a evoluir para metástase ou a sofrer recidiva local após o tratamento. Resultados do estudo, apoiado pela FAPESP, foram divulgados na revista Head & Neck

papaiaNão há colheita mecanizada de mamão papaia, apesar de ser um desejo antigo de fruticultores. Uma dificuldade para se conseguir um método automatizado confiável está em identificar frutos em diferentes estágios – maduros, perto do amadurecimento ou ainda verdes –, com variações entre eles. Em busca de uma solução para o problema, um grupo da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (FEA-Unicamp)

DNAMicrocefalia, calcificações cerebrais, alterações esqueléticas, deficiência auditiva e visual. Esses são alguns dos prejuízos que o vírus Zika pode provocar em bebês de mães infectadas durante a gestação. No entanto, tais defeitos são observados em apenas 6% a 12% dos casos, o que levou cientistas a desconfiar que outros fatores, além da infecção viral, estariam associados ao desenvolvimento da síndrome congênita. 

A cena se repete a cada verão. As chuvas que caem durante essa época do ano elevam o nível dos rios e causam enchentes, colocando em risco vidas humanas e gerando prejuízo para quem vive às margens dos cursos d’água. No último período chuvoso, entre novembro de 2016 e abril de 2017, ocorreram 55 inundações em São Paulo, média de uma a cada três dias, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da prefeitura.

As vespas da espécie Polistes satan, conhecida popularmente como marimbondo-cavalo, apresentam um comportamento que tem intrigado os biólogos que estudam insetos sociais. Em ambientes modificados, como uma fazenda, essas vespas têm construído colônias próximas umas das outras, em vez de formarem ninhos independentes e distantes uns dos outros, como fazem em paisagens naturais. 

Uma pesquisa feita no Centro de Terapia Celular (CTC) – um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) financiado pela FAPESP e sediado na USP – avaliou os mecanismos imunológicos relacionados à resposta terapêutica do transplante autólogo de células-tronco hematopoéticas em pacientes com esclerose sistêmica. 

O processo de aquecimento global pode ocorrer de forma ainda mais intensa do que o previsto originalmente caso não se consiga frear o desmatamento – particularmente nas regiões tropicais do planeta. O alerta foi publicado na Nature Communications por um grupo internacional de cientistas. Entre os autores do texto estão os brasileiros Paulo Artaxo, professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP),

A KartFly, empresa de entretenimento localizada em Campinas (SP), desenvolve uma nova tecnologia para a localização precisa e imediata de veículos em ambientes fechados. O sistema já é utilizado em pistas de corrida de karts elétricos, a especialidade da empresa. Mas os sócios da KartFly – os engenheiros Fellipe Saldanha Garcia, Guilherme Mariottini Alves e Caê Castelli – vislumbram aplicações adicionais à tecnologia, como a localização de veículos e equipamentos dentro de plantas industriais. 

Medicamentos de alta complexidade, como agentes antitumorais, podem acarretar efeitos colaterais, além de muitas vezes exigir o uso de elevadas doses. Para melhorar essas terapias e dar mais qualidade de vida aos pacientes, muitas vezes é necessário fazer análises também complexas, não só das moléculas que constituem o medicamento, mas das relações entre a sua estrutura e as propriedades físico-químicas. 

A descoberta não é tão fácil de entender, mas promete ter grande utilização em um futuro próximo. Tem a ver com quiralidade, magnetismo e transparência, relação que já vinha sendo estudada, mas que acaba de ganhar novos contornos, a partir de trabalho de pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade de Michigan. O grupo inovou ao utilizar um aminoácido quiral na síntese de um material paramagnético.

Um estudo divulgado no dia 25 de janeiro na revista Science revelou como a presença atmosférica de partículas ultrafinas de aerossol – aquelas com diâmetro menor do que 50 nanômetros (ou bilionésimos de metro) – pode intensificar o processo de formação de nuvens e também as chuvas que caem sobre a região amazônica. De acordo com os autores do artigo, sempre se acreditou que essas nanopartículas tinham papel desprezível na regulação do ciclo hidrológico – o que, de fato,