Ciência e Tecnologia

Analisando o ramo de energia eólica, alunos do curso de Engenharia Mecânica do último ano do Instituto Mauá de Tecnologia desenvolveram uma metodologia inovadora em consultoria em energia eólica, voltada para a seleção e criação de um ranking das melhores turbinas para determinados clientes e locais de instalação.

grafene molecolaGrafeno: Como um material que não deveria existir levou ao prêmio Nobel?” será o tema do próximo encontro do Papos de Física, no dia 5 de outubro de 2017, entre 19h30 e 21 horas, no Tubaína Bar (rua Haddock Lobo, 74, Cerqueira César, São Paulo). O professor Alexandre Reily Rocha, do Instituto de Física Teórica (IFT) da Unesp, irá responder algumas questões sobre o grafeno: Como ele foi descoberto?

Pesquisadores do Brasil e do Texas começaram a testar em humanos uma nova estratégia para aumentar a eficácia da anestesia tópica odontológica. Trata-se de um pequeno dispositivo contendo 57 microagulhas que, ao ser colocado na gengiva, na bochecha ou em qualquer outro local da boca a ser anestesiado, cria pequenos furos pelos quais substâncias anestésicas como a lidocaína penetram – alcançando regiões um pouco mais profundas da mucosa oral.

mandiocaO aumento da temperatura global nas próximas décadas, relacionado às mudanças climáticas, poderá dificultar o crescimento do trigo em muitas regiões de clima temperado onde o cereal é cultivado hoje. Dessa forma, a matéria-prima de um dos alimentos mais consumidos no mundo – o pão – poderá tornar-se mais cara e escassa. Uma cultura agrícola com potencial de substituir parcialmente a farinha de trigo na composição do pão em países da América Latina e da África, por exemplo, é a fécula de mandioca.

Pesquisadores participantes da colaboração Pierre Auger – o maior observatório do mundo dedicado ao estudo e à detecção de raios cósmicos, localizado na província de Mendoza, na Argentina – descobriram que, acima de um determinado nível de energia, essas partículas, que são as mais energéticas da natureza e atingem constantemente a atmosfera terrestre, têm origem extragaláctica.

O Centro de Terapia Celular da USP, em parceria com o Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP, realizará o seminário "Terapia Celular no diabete melito: onde estamos?", no dia 25 de setembro, a partir das 10 horas. Ministrado pela professora Maria Carolina de Oliveira Rodrigues (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP) e pelo endocrinologista Carlos Eduardo Barra Couri,

A FAPESP e a Microsoft Brasil lançaram edital para seleção e apoio a projetos de pesquisa sobre visão computacional aliada à Inteligência Artificial. Serão selecionadas propostas de desenvolvimento de ferramentas com aplicação em mobilidade urbana, segurança pública e industrial e de infraestrutura.

Estima-se que até o ano de 2050 a população humana aumente mais de 30%. Nesse mesmo período, segundo projeções da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, na sigla em inglês), o consumo de carne crescerá quase 73% e o de produtos derivados do leite, 58%. Por outro lado, a área de terra arável aumentará apenas 5% e os produtores agrícolas terão de lidar com os desafios trazidos pelas mudanças climáticas e por regulações ambientais cada vez mais rígidas.

Foi a partir da análise de sequências de RNA de células embrionárias isoladas que o grupo das pesquisadoras Lygia da Veiga Pereira e Maria Vibranovski, no Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP), conseguiu demonstrar que o processo de inativação de um dos cromossomos X em embriões humanos ocorre logo no início do período embrionário, e de forma lenta, entre o quinto e o sétimo dia de desenvolvimento do embrião.

Nos últimos anos começaram a ser cultivadas no país variedades de cana obtidas a partir do cruzamento das espécies Saccharum officinarum e Saccharum spontaneum, denominadas cana-energia, que apresentam maior teor de fibras e robustez. Desenvolvidas por empresas como a GranBio e a Vignis e por instituições como o Instituto Agronômico (IAC), essas “supercanas” são apontadas como a solução para aumentar a produtividade dos canaviais do país, produzir etanol de segunda geração (o etanol celulósico) e elevar a cogeração de energia.

Sequenciar o DNA de todas as espécies conhecidas no planeta Terra em um período de 10 anos – desde microrganismos invisíveis a olho nu até os mais complexos vertebrados e plantas. Esta é a ambiciosa meta do Earth Biogenome Project (EBP), iniciativa internacional prevista para ser lançada oficialmente em 2018.