Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
A Feevale acaba de ser credenciada junto à Agência Nacional de Petróleo (ANP). Agora, a Instituição passa a ter o reconhecimento formal de que atua em áreas de relevante interesse para a indústria do petróleo, gás natural e biocombustíveis e/ou temas e áreas correlatas, como meio ambiente, energia e formação de recursos humanos, com reconhecida idoneidade e competência tecnológica, possuindo infra-estrutura e condições operacionais para a execução das atividades de pesquisa e desenvolvimento, relacionadas ao grupo de serviços credenciados.
Conforme a coordenadora do projeto de credenciamento na Feevale, professora Carin Von Mühlen, esse credenciamento permitirá que os projetos sejam financiados com recursos que as concessionárias devem investir em pesquisa e desenvolvimento. Para esse credenciamento, a Feevale passou por diversas etapas de avaliação e fornecimento de informações. "A ANP necessitava de comprovações de que possuímos a estrutura organizacional para gerenciar recursos, equipar e gerenciar laboratórios, além de ter uma base científica sólida para  realizar projetos de pesquisa de ponta, envolvendo pesquisadores de diversos níveis", explica a professora.

Para atender às finalidades estabelecidas para a ANP pelo inciso X do Art. 8º da Lei do Petróleo (Lei nº 9.478/1997), foi introduzida nos contratos de concessão para exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural, a partir de 1998, a Cláusula de Investimentos em P&D. O processo na Feevale foi encaminhado em dezembro de 2008. A visita técnica ocorreu em dezembro de 2009, e a publicação no Diário Oficial da União foi realizado em janeiro de 2010.

Segundo Carin, os principais campos de pesquisa a serem beneficiados são as atividades relacionadas ao desenvolvimento de metodologias analíticas, especialmente os projetos relacionados à análises ambientais e monitoramento e controle ambiental. "Essa é uma área de pesquisa que está crescendo muito na Feevale com o programa de Pós-Graduação, mestrado e doutorado, em Qualidade Ambiental, com o suporte da Central Analítica. Além desse setor, as análises envolvidas nas tecnologias básicas de processo do petróleo também poderão ser atendidas. Esse tipo de parceria será muito importante para aproximar as necessidades analíticas das empresas com o desenvolvimento científico brasileiro e qualificação profissional", ressalta a pesquisadora.

Os contatos com as empresas do setor, como a Petrobrás, através do Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (CENPES) e Braskem, entre outras estão sendo estabelecidos para que sejam viabilizados projetos de pesquisa envolvendo desenvolvimento tecnológico e qualificação profissional que atendam as demandas dessas empresas. Carin diz que "pretende-se, com esses projetos, atrair investimentos para custear bolsas de pesquisa nos níveis de iniciação científica, mestrado, doutorado e desenvolvimento tecnológico, além de instrumentação analítica de ponta para equipar a Central Analítica para atender essa demanda". Essas ferramentas serão muito importantes tanto para o Programa de Pós-Graduação em Qualidade Ambiental, quanto em o Mestrado em Tecnologia de Materiais e Processos Industriais, além de atender aos cursos de graduação em Engenharia Industrial Química, Engenharia Química, Tecnologia em Gestão Ambiental e Ciências Farmacêuticas.

O credenciamento, que tem validade de três anos, porém, não concede nenhum benefício de caráter financeiro. Esse será buscado agora, junto às concessionárias. Ele apenas credencia a Feevale para realizar esse tipo de parceria e acessar ao fundo. Mais informações podem ser obtidas na Central Analítica da Feevale, pelos telefones (51) 3586-8913 ou 8749, com as professoras Carin Von Mühlen e Liane Bianchin.

Assessoria de Imprensa | Marketing Feevale