Cultura e Arte

Ao ver fotos antigas do Rio de Janeiro, muitos internautas comentam: “Gostaria de ter vivido naquela época.” A nostalgia por um tempo que não foi vivido por integrantes da geração Internet – e, às vezes, nem mesmo por seus pais – vai além da realidade que a imagem retrata. Mesmo assim, é um comentário comum na comunidade virtual O Rio de Janeiro que não vivi, criado por Bruno Macedo, em 2012.

O Centro de Estudos da Metrópole (CEM) lança o livro Trajetórias da desigualdade: como o Brasil mudou nos últimos 50 anos (Ed. Unesp/CEM) em um seminário no dia 2 de junho na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Organizado por Marta Arretche, diretora do CEM e professora titular do Departamento de Ciência Política da USP, a obra apresenta contribuições para as Ciências Sociais em aspectos relativos às conexões entre democracia, políticas públicas e desigualdade.

Um elevador para ambulâncias em ambiente hospitalar, agilizando casos de emergência; um carregador solar para celular, por meio de um painel fotovoltaico que converte energia solar em energia elétrica, proporcionando economia e praticidades aos usuários; e um sistema de irrigação automático, utilizando sensor para medir a umidade do solo e outro sensor de chuva para ativar o motor da tampa da caixa de água e abri-la para armazenamento de água.

As coleções de livros e outras publicações em papel pertencentes às bibliotecas das principais instituições de pesquisa no mundo – incluindo as do Brasil –, com acervos relevantes sobre biodiversidade, estão sendo digitalizadas e disponibilizadas para acesso livre na internet por meio do consórcio internacional de bibliotecas botânicas e de história natural Biodiversity Heritage Library (BHL).

Feira do LivroA Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP), localizada no campus da zona Leste, realizará a sétima edição de sua Feira do Livro de 20 a 22 de maio, das 9h às 21h. O evento é aberto ao público, com entrada gratuita, e terá publicações com 50% de desconto.

A possibilidade de ser simples, dispensar elementos gramaticais teoricamente essenciais e responder “sim, comprei”, quando alguém pergunta “você comprou o carro?”, é uma das características que conferem flexibilidade e identidade ao português brasileiro. A análise de documentos antigos e de entrevistas de campo ao longo dos últimos 30 anos está mostrando que o português brasileiro já pode ser considerado único, diferente do português europeu, do mesmo modo que o inglês americano é distinto do inglês britânico.

livrosA Editora Universitária da PUCRS (Edipucrs) promove, de 11 a 15 de maio, a 9ª Semana do Livro PUCRS. Na ocasião, será realizada a 3ª Feira Universitária, com a venda de livros de diferentes editoras. Os descontos serão de 50% nas obras da Edipucrs e de 30% nas obras de editoras universitárias. Também serão comercializados títulos por R$ 2,00, R$ 3,00 e R$ 5,00.

Com o objetivo de auxiliar a comunidade acadêmica nacional a escrever artigos científicos em inglês com correção gramatical e coesão, oito pesquisadores brasileiros e estrangeiros lançaram o livro Writing Scientific Papers in English Successfully: Your Complete Roadmap. De acordo com Osvaldo Novais de Oliveira Júnior, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC), coautor do livro, a publicação é resultado de duas décadas de pesquisa e ensino sobre escrita científica em inglês.

A presença judaica no Brasil é tão antiga quanto a colonização europeia do território brasileiro. Dois judeus teriam participado da expedição de Pedro Álvares Cabral: João Faras, médico, astrônomo e astrólogo, que deu nome à constelação do Cruzeiro do Sul (já conhecida, mas ainda sem denominação), e Gaspar da Gama, apelidado “Gaspar de las Indias”, navegador, aventureiro e poliglota, que, antes de vir à América, fora piloto de Vasco da Gama.

indiosA Unisul, em conjunto com a Escola Indígena do Morro dos Cavalos, promove a 10ª Semana Cultural Tekóa Itaty e a 12ª Semana Indígena Unisul Pedra Branca. O objetivo é valorizar e expor a cultura e os costumes da tribo indígena guarani. O cronograma inclui rodas de conversa, trilha temática, exposições, oficinas e muito mais. O evento ocorre de até o dia 19 de abril na Escola Indígena e na Unisul.

O Arquivo Público do Estado de São Paulo inaugura com um seminário, às 9h30, em 28 de abril, a exposição Em Nome D´el Rey – 250 anos do governo Morgado de Mateus em São Paulo (1765-2015). A mostra trata do período colonial no Estado e ficará em cartaz até 31 de julho de 2015. A figura central da exposição é o português Luís Antônio de Sousa Botelho Mourão, o Morgado de Mateus, que chegou ao Brasil em 1765 e governou São Paulo até 1775. Sua missão era restaurar a capitania, extinta em 1748.