O mercado audiovisual evolui sem parar. As mídias tradicionais se transformam cada vez mais rapidamente e a dramaturgia, o entretenimento e o jornalismo, hoje, são assistidos de uma maneira inteiramente nova. De acordo com especialistas, o conceito de programação caiu por terra. Integrantes de uma mesma família se reúnem na sala, mas para assistir conteúdos diferentes simultaneamente. O espectador atual é capaz de navegar pelos sites e redes socais, em seus dispositivos móveis, e ao mesmo tempo zapear pelos canais de TV até encontrar algo que o interesse.
Segundo o professor João Carlos Massarolo, docente do Departamento de Artes e Comunicação (DAC) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a participação da audiência também mudou. "A produção audiovisual contemporânea necessita criar canais de comunicação para que o usuário possa participar, quer seja no processo de criação e na divulgação dos conteúdos, ou na interatividade pelas multiplataformas", defende Massarolo.

Os projetos transmidiáticos, que contam histórias por meio de mídias e plataformas complementares, também são parte desta evolução e ocupam cada vez mais espaço no mercado. Há uma nova lógica de criação e distribuição dos produtos audiovisuais para as diferentes plataformas; e as empresas do setor, bem como os profissionais da área, já sentem a necessidade de atualizar seus métodos produtivos. Nesse sentido, a UFSCar oferece o curso de especialização em Produção de Conteúdo Audiovisual para Multiplataformas (EAM), que recebe inscrições para uma nova turma até o dia 29 de abril.

Matheus Carvalho, publicitário e estudante do curso, conta que buscou a especialização para ter uma visão mais ampla do que estava sendo demandado pelo mercado. "Além disso, é uma ótima oportunidade para enriquecer os contatos com outros profissionais da comunicação e trocar informações", afirma o estudante. Já Glaucia Chiarelli, jornalista há bastante tempo no mercado e também aluna da EAM, relata que a partir do curso teve novas oportunidades para ampliar sua atuação. "Nós temos acesso a conteúdos acadêmicos e aulas práticas com professores com vasta experiência que fazem a diferença na formação", completa a jornalista.

Com uma abordagem multidisciplinar e um corpo docente diversificado composto por especialistas da UFSCar, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), da Universidade Anhembi Morumbi e de outras universidades, o curso é voltado a profissionais da comunicação - televisão, cinema, marketing, publicidade, design etc. - e demais interessados no estudo das relações entre franquias de mídia, processos comunicacionais e conteúdos em rede. Durante o curso, os estudantes têm acesso a disciplinas relacionadas à transmídia, vídeos sob demanda, projetos multiplataformas e empreendedorismo e inovação audiovisual. O único pré-requisito é ser graduado.

As aulas são realizadas quinzenalmente, aos sábados, no Campus São Carlos da UFSCar. As inscrições podem ser feitas pela Internet, em www.geminisufscar.com.br/especializacao, site no qual há outras informações. O curso está vinculado ao Grupo de Estudos sobre Mídias Interativas em Imagem e Som (GEMInIS) do Programa de Pós-Graduação em Imagem e Som (PPGIS) da UFSCar. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn