Cultura e Arte

Até o sábado, 31 de agosto, milhares de leitores participam da 15ª Jornada Nacional de Literatura, que neste ano debate o tema "Leituras jovens do mundo". O Portal das Linguagens ficou cheio de leitores, escritores, intelectuais e artistas, que já começam a vivenciar o clima de magia da festa da literatura, da cultura, das artes e da tecnologia. A 15ª Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo teve abertura oficial na noite desta terça-feira, dia 27 de agosto, e até o sábado, 31/08, vai promover debates e ações sobre o tema "Leituras jovens do mundo".

Mario de AndradeO Grão perfumado: Mário de Andrade e a arte do inacabado, de Paulo Sérgio Malheiros dos Santos, é a mais recente publicação da Editora PUC Minas. O ensaio promove uma leitura bastante original da produção de Mário de Andrade. Partindo de textos ligados à sua atividade de professor de Música e Estética, o livro revela para o leitor um material ainda pouquissimamente estudado, quase ausente da fortuna crítica de Mário de Andrade: as aulas que preparava para os cursos de Música e um discurso de formatura.

O Museu Diversão com Ciência e Arte (Dica), do Instituto de Física da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), lança mais uma edição da revista Ciência e Tecnologia para a Transformação Social. A publicação anual tem o objetivo de divulgar temas ligados à ciência e à tecnologia e documentar as atividades realizadas durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em Uberlândia.

norberto-bobbioSerá lançado no dia 19 de agosto, na Livraria Cultura, em São Paulo, o livro Norberto Bobbio: Trajetória e Obra, de Celso Lafer, presidente da FAPESP. Filósofo italiano, Bobbio dedicou a vida aos estudos sobre democracia e direitos humanos. Ativista político e professor universitário, escreveu livros que são referências nas áreas da Ciência Política e da Filosofia do Direito.

Luiz BeltraoA importância do jornalista Luiz Beltrão (1918-1986) para as Ciências da Comunicação no Brasil foi destacada por José Marques de Melo, professor da Universidade de São Paulo e da Universidade Metodista de São Paulo na abertura do Ciclo de Conferências “50 anos das Ciências da Comunicação no Brasil: a contribuição de São Paulo”, realizada no dia 9 de agosto na sede da FAPESP.

Hannah ArendtUm casamento há muito esperado por parte da comunidade acadêmica ocorreu no fim de julho, em São Paulo. Um novo centro de estudos “uniu” Hannah Arendt (1906-1975), pensadora alemã de origem judaica, uma das mais importantes filósofas do século 20, com o filósofo e professor italiano Norberto Bobbio (1909-2004), expoente da área dos direitos humanos e da democracia.

Um documento escrito na capitania de São Paulo no início da década de 1770, época em que a Coroa Portuguesa propunha uma ampla reorganização de todo o território a sudoeste da Colônia, recomendava agir com “método e arte”. A recomendação, título de obra lançada por Maria Fernanda Derntl, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília, remete à tentativa da metrópole de organizar modos de conduzir a expansão urbana, enquanto experiências e circunstâncias locais exigiam constantes arranjos e adaptações.

Arqueólogos do GRUPEP - Grupo de Pesquisa de Educação Patrimonial e Arqueologia, da Unisul  - Universidade do Sul de Santa Catarina  e do Laboratório de Arqueologia e Conservação do Patrimônio Subaquático do Instituto Politécnico de Tomar (Portugal), juntaram os esforços numa nova campanha arqueológica na gruta do Bacelinho, localizado em Alvaiázere, no centro de Portugal.

Acaba de ser lançada a 168ª edição da Revista de História. Este novo volume é composto por dois conjuntos de textos: o primeiro é constituído pelo dossiê O Atlântico Equatorial: sociabilidade e poder nas fronteiras da América portuguesa, que conta com oito artigos produzidos por especialistas em história indígena, administração colonial, movimentos migratórios e atividade missionária cristã.

O surgimento de escritores e ativistas negros e de autores representantes da chamada literatura periférica no cenário editorial brasileiro contemporâneo coincidiu com ciclos de aproximação e de interesse das Ciências Sociais por movimentos de ativismo político e cultural. Movimentos esses em defesa dos direitos civis da população negra e sobre questões relacionadas à condição racial, direitos sociais e a realidade nas periferias urbanas do país, abordadas tanto por esses autores como por sociólogos e antropólogos em suas obras.

De Santa Fé a Antares com Erico Verissimo será o tema do encontro Cafezinho Literário desta quinta-feira, 27 de junho, com a participação da diretora da Faculdade de Matemática da PUCRS, Maria Beatriz Menezes Castilhos. A ideia da atividade é proporcionar um espaço para que professores e pesquisadores da Universidade possam comentar sobre autores que influenciaram sua vida e trajetória acadêmica.