Cultura e Arte

A Universidade de Passo Fundo e a Prefeitura Municipal de Passo Fundo convidam para o lançamento da 14ª Jornada Nacional de Literatura e da 6ª Jornadinha, programado para dia 20 de janeiro no Foyer do Bourbon Shopping Country, em Porto Alegre, às 19 horas. Participantes: Tania Rösing, coordenadora geral da Jornada; o reitor da Universidade de Passo Fundo, José Carlos Carles de Souza; o presidente da Fundação da Universidade de Passo Fundo, Jocarly Patrocínio de Souza; o prefeito de Passo Fundo em exercício, Renne Cecconello; o poeta e publicitário Luís Coronel e o diretor do Instituto Estadual do Livro Ricardo Silvestrin, além dos escritores Ignácio de Loyola Brandão, Alcione Araújo e Luís Augusto Fischer.

A Griot - Revista de Filosofia está recebendo artigos, resenhas e traduções para o próximo volume que será publicado em junho de 2011. Os textos devem ser enviados por e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até o dia 15 de abril de 2011. Ver normas para a formatação dos textos no site da revista www.ufrb.edu.br/griot.
A região da Sicília, na Itália, foi dominada entre os séculos V e III a.C. pelos cartagineses, povo originário do norte da África. Pesquisa da Universidade de Brasília revela que sua cultura foi fortemente influenciada por mercenários gregos contratados para expandir seus domínios e se defender de outros povos que habitavam a região. Os guerreiros trouxeram a cultura helenística - que surgiu da mistura cultural entre gregos e povos do oriente durante o império de Alexandre, o Grande. "O espartano Xântipo, por exemplo, destacou-se dentro de um grupo de 50 gregos contratados por Cartago por causa de seus conhecimentos militares, herdados dos exércitos de Alexandre", explica Henrique Modanez, autor da tese de doutorado Entre Reis, Tiranos e Generais: imitatio Alexandri e dispositivos táticos no ocidente helenístico, 323-255 a.C. O período escolhido por Henrique marca justamente o intervalo entre a morte de Alexandre e o início do período helenístico, em 255 a.C.

cinema_festivalO gênero terror do cinema brasileiro estará em destaque no dia 11 de janeiro no Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC) da Universidade do Algarve, na cidade de Faro, em Portugal. Quem levará para lá o conhecimento a respeito do tema é a professora Laura Cañepa, do Mestrado em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi com a palestra “As imagens do horror no cinema brasileiro”. O conteúdo que será apresentado é baseado na tese de doutorado da professora Laura Cañepa, defendida na Unicamp, e a iniciativa do encontro faz parte de um acordo de cooperação internacional entre o Mestrado em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi, no Brasil, e a Universidade do Algarve, em Portugal.

Entre os dias 10 e 25 de janeiro será realizada mais uma edição do Prepes Cultural. O evento acontece de 12h30 às 13h30, no auditório 3, do prédio 43, do campus Coração Eucarístico da PUC Minas, durante o período letivo da 50ª edição do Programa de Pós-graduação lato sensu (Prepes) da Universidade, que é organizado em módulos semestrais e com aulas ministradas durante o período de férias.

O Arquivo Público do Estado de São Paulo lançou, em coedição com a Imprensa Oficial, o livro Os Cortiços de Santa Ifigênia: sanitarismo e urbanização, organizado por Simone Lucena Cordeiro, diretora do Centro de Acervo Permanente do Arquivo. O livro foi elaborado a partir do Relatório da comissão de exame e inspecção das habitações operárias e cortiços no districto de Sta Ephigenia, documento de 1893 que faz parte do acervo permanente do Arquivo. O relatório foi escrito em uma época de grande crescimento de São Paulo. De uma população de 69.934 habitantes em 1890, a cidade saltou para 239.820 em 1900. Novas construções, iluminação elétrica e linha de bondes sinalizavam o projeto de igualar a cidade às grandes capitais europeias.

Semana passada, o presidente Luis Inácio Lula da Silva assinou o decreto que institui o Inventário Nacional da Diversidade Lingüística, uma “vitória importantíssima para toda a sociedade”, segundo a coordenadora das Ciências Humanas (CCH) do Museu Goeldi, Ana Vilacy. O decreto é resultado do Grupo de Trabalho da Diversidade Lingüística (GTDL), constituído pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e que congrega representantes de diversas instituições do Brasil, entre elas o Museu Goeldi - representado pelo pesquisador Denny Moore. Um dos trabalhos do grupo é a realização de projetos piloto que irão analisar e propor metodologias para o inventário. O grupo também será responsável pela organização das primeiras línguas que farão parte do inventário com Referencia Cultural Brasileira.

Porto Belo/SC – O Ecomuseu da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) recebe as exposições paleontológicas “Gigantes do Passado” e “Fósseis da Bacia do Araripe”, até o final de abril, na Ilha de Porto Belo. A “Gigantes do Passado” reúne mostra paleontológica sobre os grandes mamíferos que viveram na América do Sul durante a chamada “Era do Gelo”. Ela destaca espécies encontradas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, incluindo as mais conhecidas e curiosas como tigres-dentes-de-sabre, preguiças-gigantes e o mastodonte (elefante primitivo). Na coleção de “Fósseis da Bacia do Araripe”, que abrange áreas de Pernambuco, Ceará e Piauí, estão registros da fauna que viveu no período Cretáceo (113 milhões de anos antes do presente), quando a Terra ainda apresentava dois super continentes, a Laurasia e o Gondwana. Nesta época existiu um complexo de lagos habitado por uma grande variedade de espécies incluindo peixes, insetos e plantas.

Os painéis “Guerra” e “Paz”, de Candido Portinari, voltam ao Teatro Municipal do Rio de Janeiro, onde foram apresentados há 54 anos pela primeira e única vez no Brasil, antes de serem embarcados para os Estados Unidos. As obras ficarão expostas no teatro entre os dias 22 e 30 de dezembro, com entrada franca. Em janeiro de 2011, seguirão para o Palácio Gustavo Capanema, também no Rio de Janeiro, onde serão submetidas a um processo de restauração em um ateliê aberto, que poderá ser acompanhado pelo público até maio de 2011. Com a presença do presidente da República, a exposição será inaugurada no dia 21 de dezembro, para convidados. A partir do dia 22, a visitação estará aberta ao público em seis sessões diárias, no palco do Teatro Municipal, com duração de duas horas.

O Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde (LabHum) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) abriu inscrições para o ciclo de estudos do primeiro semestre de 2011. O LabHum é um espaço aberto a alunos de graduação, pós-graduação, docentes e funcionários da Unifesp e estudantes de outras universidades. O objetivo do curso é promover a humanização da pesquisa e da prática profissional em saúde por meio da leitura e discussão de clássicos da literatura. A primeira obra a ser discutida será Divina Comédia – O Inferno, de Dante Alighieri. Na sequência os outros dois livros, Purgatório e Paraíso, serão lidos e discutidos.

carlos_chagas_filhoUma exposição e o lançamento de dois livros marcaram as comemorações do centenário de nascimento de Carlos Chagas Filho, médico, professor, diplomata e acadêmico, morto em 2000 aos 89 anos. A exposição, que foi inaugurada na Casa de Oswaldo Cruz, da Fundação Oswaldo Cruz, é apresentada em três ambientes. O primeiro é ambientado no escritório de Chagas Filho e reúne documentos pessoais, imagens e objetos representativos de sua trajetória pessoal e de suas atividades na área da cultura. O segundo é o laboratório, com equipamentos reais e atividades interativas, representando as principais linhas de pesquisa implantadas por ele no Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, do qual foi o criador.